sexta-feira, 9 de junho de 2017

Leitura do dia: Os grandes processos da história, Henri Robert


"Na verdade, já há longos annos suspirava por obter a mão de Lucilia Duplessis.

...

Elle era celebre aos trinta annos. Ella possuia riqueza e belleza. Seus paes consentiam na sua união.
E elles se amavam, ambos, na aurora esplendida da liberdade!
Seus idyllios não eram como que illuminados pelo reflexo mesmo daquella Revolução que se erguia sobre a França ardente?
Oiçamos a carta de Camillo a seus paes para lhes annunciar que era acceito:
"Vejo-me afinal no auge dos meus desejos! A felicidade, fez-se por muito tempo esperar, mas chegou e estou fel'z tanto quanto pôde estar-se sobre a terra.
Essa encantadora Lucilia, de quem vos tenho falado tanto, que amo ha oito annos, seus paes m' dão e ella não me regeita. Ides conhecel-a por este unico facto: quando sua mãe m'a deu, conduzia-me ao seu quarto. Lanço-me aos joelhos de Lucilia, surpreso por escutal-a rir, levanto os olhos, os seus não estavam em melhores condições que os meus: ella estava toda em lágrimas, chorava mesmo abundantemente, tão encantador."
O casamento foi celebrado no dia 29 de Dezembro de 1790 em Saint-Sulpíce, pelo abbade Bérardier, que fôra no collegio Luiz, o Grande, um dos mestres queridos de Camillo Desmoulins.


{ Páginas 214-215 }


"Camillo, entretanto, nada abdicára de suas idéas, nem mesmo de sua violencia.
Sua mulher, tão ardente quanto elle, partilhando todas as suas conviccções, bem longe de o conter, impelia-o, ao contrario, sempre para a frente.
Elle fazia parte do Club dos Franciscanos.

...

A divisa: "Liberdade, Egualdade, Fraternidade" nos vem do Club dos Franciscanos e data de Junho de 1791.
A revolução das ruas vinha reanimar-se e esbravejar neste club.
Os oradores chamavam-se: Marat, o amigo do povo; Danton, o grande tribuno; Chaumette, que devia tornar-se o procurador-geral; Desmoulins; Anacharais Clootz, o barão prussiano millionario, que se intitulava "cidadão da sociedade" e que Robespierre devia executar pouco mais tarde, da tribuna dos Jacobinos, antes de o enviar para a guilhotina.

...

Assim, Camillo continuava ardentemente a campanha, na tribuna (onde para dizer-se a verdade, uma certa hesitação da palavra nem sempre o deixava brilhar!), e sobretudo no seu jornal, que apparecia sempre com o mesmo sucesso, e onde elle atacava violentamente La Fayette e Bailly, há pouco tempo ainda tão elogiados por elle e cuja prisão agora reclamava.

...

Em 6 de Julho de 1792, Lucilia Desmoulins dava á luz um filho que recebeu (sempre seu amor pela antiguidade) o nome de Horacio.

...

Foi recursando o decreto de acusação que se lhe pedia contra La Fayette que o rei desencadeou o furacão.

...

Com a noticia desta recusa, tocou-se o rebate. Era a noite de 9 para 10 de Agosto.
A este sinal, Paris inteiro correu ás armas e sahiu para as ruas.

...

Temos, numa carta de Lucilia, alguns detalhes que nos fazem reviver as horas de febre daquela noite historica.

"Breve, diz ella, vi todos se armarem. Camillo, o meu querido Camillo, chegou com um fusil. Descançou alguns minutos, depois partiu com a multidão. Percebia o som do sino fatal. De repente, a senhora Danton disse:
_Tiros de canhão.
"Depoiis desmaiou. Uma visinha ia vociferando "que tudo isto era por culpa de Camillo". Talvez não estivesse ella de todo enganada."

...

No dia seguinte, Danton era ministro.
Quanto a Camillo, esse tornava-se "secretario geral do Ministerio da Justiça", _ graças ao canhão, diz elle. 
"Penetrei, accrescenta orgulhosamente, no palacio dos Lamoignom e dos Maupeou pela brecha das Tulherias."
E pensava no effeito que isto iria causar em Guise."

{ Páginas 220-221-222 }

*Foi mantida a grafia original da publicação do livro.

Excerto do livro Os grandes processos da história
Henri Robert

Tradução J.L. Costa Neves

Livraria Carvalho, Editora

Boas leituras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário