domingo, 14 de maio de 2017

MilaResendes: A dádiva da vida

 
 
Nossa mãe faleceu com 64 anos. Sessenta e quatro! Para os critérios atuais, ela era jovem. Para nós, a Dª Inês chegaria aos 80 com os cabelos branquinhos como o algodão...
 
Ela era toda vaidosa, gostava das unhas bem pintadinhas sempre de cores da palheta do lilás, rosa, creme... Sempre perfumada! Cremes, perfumes, desodorantes, ela os amava!
 
Gostava de usar pó facial, e o batom rosado nos lábios. Essa era sua make oficial.
 
Sinto muita falta dela. Ela era uma pessoa maravilhosa pra conversar, podia-se falar de tudo com ela, de novela a vida da vizinhança; era muito "trabalhadeira", na realidade ela pouco parava pra aproveitar tudo o que limpava, essa era a minha impressão.
 
Nunca sorveu um chimarrão, mas gostava de chá. Frutas amava todas, mas a encantava comer um peixinho frito. E não posso esquecer o amor incondicional pelo pirão de farinha de mandioca. Vezes o almoço servido na mesa e ela colocava um pouco de água na chaleira pra esquentar pra fazer no seu prato mesmo, um pouco de pirão...
 
Foi a melhor mãe que eu conheci. Costurou bonecas e roupinhas na sua Singer vinda de barco de Santa Catarina como parte do seu enxoval, modesto, porém impecável, cheio de paninhos bordados a mão, assim como lençois e toalhas. Ela bordava passarinhos, flores e frutas... Mãe atenta, era a primeira a levantar, fazer o pão assado, passar a roupa a ferro, costurar qualquer possível buraquinho que aparecesse nas nossas roupas... Ah! Que saudade! Lembrar dela é muito bom. Ficaram muitos aprendizados. Ficaram as doces lembranças.
 
Minhas irmãs são mães, quero dedicar a elas esse dia tão especial, em que reverenciamos todas as mães do mundo!
 
E um beijo com carinho para as mamães leitoras deste blogue!

Poema "Pra Sempre" de Carlos Drummond de Andrade:

 
 
Bjkas
 
MilaResendes
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário