quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Livro Do Pecado à Redenção, Ortegal Santiago


Com pitadas de sabedoria, filosofia e até humor, este livro lança um desafio ao leitor: descobrir como a traição em um casamento, sob rotina quase protocolar, pode dar a uma mulher tardes de sexo. Muito sexo. Mas o preço para isso é muito alto. Tão alto quanto o seu próprio arrependimento.

Livro Do Pecado à Redenção
Ortegal Santiago
Pacartes
2015

Boas leituras!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Livro A vida na escola e a escola da vida, IDAC


Já não dá mais pra esconder o estrondoso fracasso escolar que todas as estatísticas revelam. De quem é a culpa? Da vítima? Do índio?
Como é que o povo pode mudar a escola, usando lições que aprendeu na escola da vida? Claudius, Miguel e Rosiska, da equipe do Instituto de Ação Cultural ( IDAC ), levantam neste livro alguns pontos para uma discussão necessária e urgente, que já é parte do processo de mudança.

Livro A Vida Na Escola E A Escola Da Vida
Claudius Ceccon
Miguel Darcy de Oliveira
Rosiska Darcy de Oliveira
Editora Vozes Ltda
IDAC, 1984

Boas leituras!

Livro Espanha e Brasil: problemas de relacionamento na crise de independência (1822-1834)


Livro Espanha e Brasil: problemas de relacionamento na crise de independência (1822-1834)
Earle Diniz Macarthy Moreira
Pubblicato
2012

Boas leituras!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Livro Guia Prático da Alimentação Macrobiótica Zen, Ilze Clausnitzer


"Mesmo tendo sido um cientista laborioso e um filósofo esclarecido, o professor Ohsawa foi, também, um místico profundo.

A doutora Ilze Clausnitzer escreveu o seu Guia Prático da Alimentação Macrobiótica Zen onde expôs o essencial da Ciência Macrobiótica em estilo e linguagem perfeitamente acessíveis ao nosso entendimento, tornando-o um dos mais preciosos manuais para o estudo da "Arte da Longevidade e do Rejuvenescimento".

Livro Guia Prático da Alimentação Macrobiótica Zen
Ilze Clausnitzer segundo o professor Ohsawa
Associação Macrobiótica de Porto Alegre
7a. Edição - 1989

Boas leituras!

Livro Ilha do Presídio, uma reportagem de idéias


Livro Ilha do Presídio
Uma reportagem de idéias
Organização Christa Berger e Beatriz Marocco
Libretos
2008

"A ideia era provocar um distanciamento da sala de aula na universidade e da redação jornalística para poder neste território neutro refletir e praticar um tipo de jornalismo diferente, duplamente independente: do que se ensina e do que se faz."

Boas leituras!

domingo, 27 de novembro de 2016

Coluna da Menina: Natal, todo ano a mesma coisa! Bullying!





Olá súditos! ... ops! Quer dizer, olá queridos leitores desta simpática coluna!

Natal, presentes, comilança, mas até aí tudo normal, praticamente a minha rotina; o a parte é o período de bullying que vivo, ano após ano, infinitamente, pelo que estou percebendo...

Explico: aquele arremedo de árvore de natal que a minha humana teima em colocar na loja, ano pós ano... E o que têm? Você me pergunta. E eu respondo: têm, que aquele galho cheio de penduricalhos coloridos e brilhantes fazem os MEUS olhinhos brilharem e minhas garrinhas comicharem para caçar cada um daqueles enfeites inúteis ( a não ser que sirva para me distraírem, ai são bem úteis! )...

Mas o pior vocês não viram, o bullying está no fato de que eles montam aquele parquinho tchutchuquinho e, imaginem colam uma placa enorme de "proibido derrubar"!!! ...

Como-assim? Mas qual a serventia de montar um brinquedo tri legal e, não poder mexer? ... Sério, me expliquem... Já é o meu terceiro natal com essa provocação e eu ainda não entendi a moral.

Claro, que já derrubei tudo!!! kkkkkkkk
Caiu eu, árvore, penduricalhos, pisca-pisca... Foi uma festa! Saímos correndo atrás daquelas coisinhas rolando ( digo saímos, no plural, pois estou dividindo a "plaquinha da vergonha" com o Ponta Branca, coitado, é tão palermo que nem conseguiu brincar com aquele monte de coisas, mas é importante salientar a participação dele pra dividir a pena em dois ... ).

Tô pensando em denunciar meus humanos pra liga dos direitos dos gatos por bullying, afinal, quem montou a árvore? Quem pôs aqueles lindos enfeitinhos? EU SOU A VITIMA! Aquela árvore poderia ter me matado! E pra encerrar o chororo, foi ELA quem começou! ...

Bom, já digitei demais, vou lá, comer uns grãos de ração, bebericar minha água fresca, e tirar uma soneca... Terei de passar em frente à árvore, talvez dê uma espanadinha na poeira dela... Vocês sabem, sou caridosa, vou perdoá-la... se me fizer de boazinha, arrependida até, terei minha desforra... logo, logo!

Dobrem os joelhos, pois a Gata-Menina-Rainha-Master está passando pela sua timeline... Beiju!



sábado, 26 de novembro de 2016

Livro O Vermelho e o Negro, Stendhal



Em O Vermelho e o Negro Stendhal conta a história de Julien Sorel, um autentico anti-herói, descrevendo suas lutas, embates, vitórias e derrotas, alegrias e dores, como convém a qualquer ser humano, com defeitos (muitos) e qualidades (algumas). 

Filho de um marceneiro e renegado pela família (seu pai achava que ele não servia para nada), Julien tinha inteligência acima da média e memória excepcional. Estudava Teologia (chegara a decorar a biblia em latim) e trocava qualquer  trabalho braçal pela leitura de um clássico, para horror do seu pai que o desprezava ainda mais.

Jovem de extrema beleza e marcante palidez, tinha grande poder de sedução e sabia exercer suas qualidades para conseguir o que quisesse. Sabia que não tendo berço, só possuía dois caminhos para a ascensão social - a farda militar (o vermelho) ou a batina (o negro), por isso aproveita bem as chances que lhe chegam às mãos. Protegido do cura Chèlan, ele é convidado pelo Senhor de Rênal para ser preceptor de seus filhos,  função que desempenha com competência, dividindo o tempo entre as aulas às crianças e um tórrido caso amoroso com a esposa do patrão. Enquanto vive com os Rênal, procura habituar-se aos costumes da corte, aprendendo o manejo social. Porém, mesmo ascendendo, Sorel continuava a ser "um pobre entre os ricos".


Nesse romance psicológico, que serve de pano de fundo para que Stendhal descreva e teça críticas à sociedade parisiense no período que sucede a Revolução Francesa, acompanhamos e nos envolvemos com os dramas e alegrias de um personagem no qual nenhum gesto ou palavra é gratuita. Ao envolver-se com a Senhora de Rênal, inicialmente vê no romance um desafio, uma batalha a vencer, porém, acaba se apaixonando verdadeiramente "Diz a si mesmo; ' Se à meia-noite, não conseguir coragem para segurar a mão dessa mulher que se acha ao meu lado, é claro que não passo de um covarde: subo ao meu quarto e estouro os miolos.'" Quando o romance é rompido, por causa de uma carta anônima, Juistar.



O Vermelho e o Negro não é um livro fácil e superficial. É denso, forte, pesado em muitos pontos, porém, a cada capítulo, prende mais o leitor no emaranhado das relações de Julien Sorel que termina condenado pela mesma sociedade que tanto desprezou e cobiçou.


Com essa obra, publicada em 1830, o autor Henri Beyle, mais conhecido como Sthendal, marca o início do Realismo na literatura francesa, deixando de lado toda a tradição romântica.

*Martin Claret, Co
leção A Obra-Prima de Cada Autor.

Livro O Vermelho e o Negro
Stendhal
Tradução De Souza Júnior e Casemiro Fernandes
Editor Victor Civita
1979

Boas leituras!

Revista Evidência, artigo: Educação, vidas que se doam em prol da formação de outras

"A nossa escola tem como um dos pilares do projeto pedagógico a leitura: " Ler, escrever é poder!" ... 

Sobre os projetos da E.M. Osório Ramos Corrêa

"O acervo da escola devidamente organizado."

"Projeto Biblioteca Itinerante."

"Sacola de leitura: uma das atividades referência da escola."

"Recentemente, nossa biblioteca recebeu, por um período de dois meses, cerca de 150 livros de temática africana, tratando-se de um belíssimo projeto da escritora Rosane Castro, chamado " Biblioteca Itinerante Griô", que foram amplamente divulgados e trabalha
dos com todas as turmas da escola, bem como explorados pelas diferentes áreas do conhecimento, uma vez que a escola também desenvolve o projeto "Africanidades", salienta a professora Magda."

(...)

"Com destaque à Biblioteca Mário Quintana e todo o projeto pedagógico vinculado, a direção e a equipe mostram-se sedentas por inovação e aperfeiçoamento de tudo o que estiver ao seu alcance, mesmo que, certas vezes, a verba pública disponibilizada não seja de todo coerente com as suas intenções. Ainda assim, com garra e vontade, os projetos conseguem ser bravamente concretizados e postos em ação."

Este artigo é parte integrante da reportagem "Onde há trabalho, há resultado", páginas 12, 13 e 14, da Revista Evidência Gravataí, sobre a Escola Municipal de Ensino Fundamental Osório Ramos Corrêa, através da professora Magda Teresinha da Silva.

Para ler o texto na íntegra adquira a Revista Evidência Gravataí, Ano XXXI, N° 218, 11/2016, R$14,90; ou informe-se via www.revistaevidencia.com.br

Boas leituras!




sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Livro A árvore do planeta do era uma vez..., Sandra Zeni Carli


Livro A árvore do planeta do era uma vez...
Sandra Zeni Carlo
Ilustrações Vitor Clos Ambrosini
2010

"As crianças têm uma forma toda especial de enxergar e explicar o mundo. Essa história fala da herança que iremos deixar para as futuras gerações. Pedro, Antônia e Carlos fizeram a sua parte, mesmo que, só depois de um tempo, perceberam a importancia do ato."



Boas leituras!



Livro Revista Jurídica, Novembro de 2002


Nesta edição entre outros assuntos:
Eficiência da coisa julgada inconstitucional;
Antecipação de tutela: pedido incontroverso;
Agravo de instrumento: traslado de peça;
Proibição das provas ilícitas;
Interrogatorio por teleconferência.

Mais:
Notícias do judiciário
Jurisprudência criteriosamente selecionada ( cível e penal ).

Livro Revista Jurídica
Ano 50 - Novembro de 2002 - N. 301
NotaDez: Porto Alegre
2002

Boas leituras!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Livro Introdução à Supervisão Escolar, Imideo G. Nerici


Esta obra de nível introdutório em uma nova edição ampliada, trata da supervisão escolar, voltando-se, primordialmente, para os seus aspectos práticos.
Constitui portanto, um valioso guia para todos os que se empenham no processo educativo, tendo do ponto de vista do seu planejamento, quanto de sua administração e do seu exercício quotidiano.

Livro Introdução à Supervisão Escolar
Imideo G. Nérici
Editora Atlas S/A
4a. Edição, 1981

Boas leituras!

Livro O Poder do Jovem, Lauro Trevisan


Você pode ser jovem e ninguém tirará esse PODER de você.
Lance agora o seu grito de libertação e deixe que o SUCESSO seja o seu companheiro inseparável.
Dê adeus aos grilos, aos complexos, aos traumas da vida.
Você é um vencedor.
Aqui está a força infinita que fará você vencer na vida.
Descubra a sua grande FORÇA.
Descubra a fonte inesgotável da inteligência, do poder interior, do otimismo, do triunfo, do amor, da felicidade e da paz.
E cante a vida, de braços abertos, porque agora todos os seus sonhos dourados começam a se tornar realidade.

Livro O Poder do Jovem
Lauro Trevisan
Editora e Distribuidora da Mente
1981

Boas leituras!

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Livro Sinais de Esperança, Alejandro Bullon


"O quadro pintado diariamente pela mídia não é nada animador. Aquecimento global, inundações, terremotos, furacões, incêndios, ansiedade, violência, terror... O que está acontecendo com o planeta Terra? O que se passa com a humanidade? Será que o mundo tem solução?

Na verdade, o descontrole da natureza, as guerras sem sentido e as açoes perversas do próprio sei humano são apenas o lado visível do cenário dos acontecimentos. Por trás da cortina dos fatos, há um enredo muito mais significativo. Algo espetacular está para acontecer. O simples espectador o desconhece, mas um livro o registrou há muitos séculos.

Com base nas profecias desse livro, a Bíblia, o autor analisa os sinais que indicam a aproximação de um novo tempo na história da humanidade, Esse evento glorioso é a maior esperança do mundo. Por isso, você tem razões para encarar o futuro com esperança. Olhe para a promessa que surge no horizonte."

Livro Sinais de Esperança
Alejandro Bullon

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Livro Parnaso de Além-Túmulo, Francisco Cândido Xavier


"Os mortos falam e a humanidade está ansiosa, aguardando a sua palavra.Primeiro livro psicografado por Francisco Cândido Xavier, Parnaso de além-túmulo reúne mais de 200 poemas ditados por 56 poetas brasileiros e portugueses. Verdadeiro marco na história da humanidade, esta magnífica coletânea de textos concebida pela inspiração de poetas no Plano Espiritual traz mensagens de consolo e esperança em diversos temas, confirmando a sobrevivência da alma após a morte terrena.Mais do que uma primorosa obra, Parnaso de além-túmulo marca o início da extraordinária jornada de Chico Xavier como médium e instrumento da Espiritualidade Superior, além de um dos maiores e mais respeitados divulgadores da Doutrina Espírita do mundo."

Livro Parnaso de Além-Túmulo
Francisco Cândido Xavier

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Livro Os degraus da fortuna, Napoleon Hill


Livro Os Degraus da Fortuna
A força do pensamento aplicada ao sucesso
Napoleon Hill
Tradução Gilberto B. Oliveira
IBRASA - Instituição Brasileira de Difusão Cultural S.A., 1973

O máximo autor da Psicologia Positiva, apresenta sua receita para aumentar a riqueza conservando ao mesmo tempo a saúde e a alegria de viver.

Boas leituras!

domingo, 20 de novembro de 2016

Doações recebidas nessa semana

Com o escritor Sebastião Medeiros



Nessa semana recebemos estas doações de livros e fitas cassete!

Vou falando sobre cada livro aqui no blogue no decorrer do mês...


Curso de Espanhol, dezoito fitas cassetes, da Globo.

Instituto Geográfico De Agostini S.p.A, Novara (1986). Editora Globo S.A. (1989). Gravação e Mixagem: Ensaio Estúdio.

Boas leituras!

sábado, 19 de novembro de 2016

Cachorrinha branca adotada!


Pessoal, passando especialmente pra contar que a cachorrinha branca foi adotada! ... Yupi!!!

Hoje pela manhã, conversamos com o Sr. Reni da revenda de carros, e ele confirmou que ela está morando numa casa na sua rua e que está bem.

Por um mundo em que animais e pessoas tenham moradia e muito amor!

P.S. Ah, a Gata Menina ficou muito contente... Ofereceu, inclusive, os demais cachorros pro adotante da cachorrinha... Mas ele achou um pouco demais... Ela me olhou bem séria, dizendo: _ Viu, até ele concorda que é demais! ... Durma com tanto barulho!

Milaresendes

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Livro O Primo Basílio, Eça de Queiros


"Jorge e Luísa formam um jovem casal pertencente à burguesia de Lisboa. Convivem com um círculo de amizades formado, entre outros, pelo Conselheiro Acácio, homem apegado a convenções sociais; Dona Felicidade, que nutre uma ardente paixão por ele; e Sebastião, o melhor amigo de Jorge. 
Jorge parte para uma viagem de trabalho. Durante sua ausência, Luísa recebe a visita de um antigo namorado de juventude, seu primo Basílio, residente em Paris. Admirado com a beleza da moça, Basílio envolve Luísa em um jogo de sedução, que faz com que ela se imagine vivendo uma das aventuras amorosas de suas leituras românticas. Eles se tornam amantes, passando a trocar bilhetes e cartas de amor. Luísa encontra estímulo na amiga Leopoldina, mulher casada, colecionadora de casos extraconjugais. Toda a movimentação da casa é observada pela governanta Juliana, sempre às voltas com planos de enriquecimento rápido.  
Para escapar das desconfianças dos vizinhos, o casal de amantes passa a se encontrar em um quarto alugado nos subúrbios de Lisboa. A despeito da decrepitude decadente do lugar, chamam-no de Paraíso. Ali, vivem tórridas cenas de amor. Com o tempo, Luísa percebe um esfriamento na paixão de Basílio, que passa a lhe tratar com certo desprezo.  
Juliana se apodera de algumas cartas trocadas entre os amantes e passa a chantagear a patroa. Luísa expõe um plano de fuga a Basílio, mas este se recusa a segui-lo e retorna a Paris. 
Jorge chega da viagem e Luísa continua a sofrer o assédio de Juliana, que exige uma grande quantia em dinheiro para devolver-lhe as cartas. Para conter seus ímpetos, Luísa se vê obrigada a conceder à empregada uma série de privilégios: presenteia-lhe com seus vestidos, deixa seu quarto mais confortável e chega até mesmo a substituí-la em alguns serviços domésticos, sempre às escondidas do marido. 
Jorge se apercebe do que acredita ser desprezo de Juliana pelo trabalho e resolve demiti-la. Juliana exige o dinheiro da chantagem e Luísa apela então para Sebastião. Ele escuta toda a história do adultério e fica horrorizado, mas resolve ajudar a amiga. Vai até a casa de Jorge em um momento em que Juliana está só e, com ameaças de prisão, obtém as cartas. Vendo escapar-lhe o sonho de enriquecimento, Juliana tem uma síncope e morre. Sebastião entrega as cartas a Luísa.  
Luísa adoece. Jorge apanha, em meio à correspondência, uma carta de Basílio. Imaginando que a causa da doença da esposa seja algum problema familiar de cujo conhecimento ela o poupa, Jorge abre a carta. Nela, Basílio relembra os bons momentos passados no Paraíso. Quando a esposa melhora, Jorge lhe mostra a carta de Basílio. Luísa sofre um choque e, alguns dias depois, morre."

Via http://educacao.globo.com/literatura/assunto/resumos-de-livros/o-primo-basilio.html

Livro O Primo Basílio
Eça de Queiros
Editor Victor Civita
1982

Boas leituras!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Livro Moll Flanders, Daniel Defoe


"Venturas e Desventuras da Famosa MOLL FLANDERS & Cia.

Que viu a luz nas prisões de Newgate e que, ao longo de uma vida rica em vicissitudes, a qual durou três vezes vinte anos, sem levar em conta sua infância, foi durante doze anos prostituta, durante doze anos ladra, casou-se cinco vezes ( uma das quais com seu próprio irmão ), foi deportada oito anos na Virgínia e que, enfim, fez fortuna, viveu muito honestamente e morreu arrependida; vida contada segundo suas próprias memórias."


Livro Moll Flanders
Daniel Defoe
Tradução Antônio Alves Cury
Editor Victor Civita
1981

Boas leituras!

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

94 anos de José Saramago



José Saramago nasceu no dia 16 de Novembro de 1922, embora constasse no seu bilhete de identidade que tinha nascido no dia 18. Sobre essa curiosa situação, escreveu n’As Pequenas Memórias:
«Creio que a ocasião é boa para falar de um outro episódio relacionado com o meu aparecimento neste mundo. Como se já não fosse suficiente o delicado problema de identidade suscitado pelo apelido, um outro se lhe tinha vindo juntar, o do dia do nascimento. Na verdade, nasci no dia 16 de Novembro de 1922, às duas horas da tarde, e não no dia 18, como afirma a Conservatória do Registo Civil. Foi o caso que meu pai andava nessa altura a trabalhar fora da terra, longe, e, além de não ter estado presente no nascimento do filho, só pôde regressar a casa depois de 16 de Dezembro, o mais provável no dia 17, que foi domingo. É que então, e suponho que ainda hoje, a declaração de um nascimento deveria ser feita no prazo de trinta dias, sob pena de multa em caso de infracção. Uma vez que naqueles tempos patriarcais, tratando-se de um filho legítimo, não passaria pela cabeça de ninguém que a participação fosse feita pela mãe ou por um parente qualquer, e tendo em conta que o pai era considerado oficialmente autor único do nascido (do meu boletim de matrícula no Liceu Gil Vicente só consta o nome do meu pai, não o da minha mãe), ficou-se à espera de que ele regressasse, e, para não ter de esportular a multa (qualquer quantia, mesmo pequena, seria excessiva para o bolso da família), adiantaram-se dois dias à data real do nascimento, e o caso ficou solucionado. Sendo a vida na Azinhaga o que era, penosa, difícil, os homens saíam muitas vezes a trabalhar fora durante semanas, por isso não devo ter sido nem o primeiro caso nem o último culpado destas pequenas fraudes. Em relação à data de nascimento que tenho no bilhete de identidade morrerei dois dias mais velho, mas espero que a diferença não se note demasiado.»

Texto extraído na integra:  www.josesaramago.org 

Sigamos no desassossego... 

Boas leituras! 

Livro Tui-Na, Dr. Y. Manaka


Livro Tui-Na
Massagem Terapêutica Chinesa
Dr. Y. Manaka
Sol Nascente Publicações

Há milhares de anos os chineses vêm se utilizando de formas terapêuticas especias, que agora começam a ser assimiladas pelos ocidentais.

Boas leituras!


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Livro Manual dos Tempos e Costumes Bíblicos, William L. Coleman


Há certas expressões bíblicas que só conseguimos compreender plenamente quando descobrimos seu significado no tempo e na situação em que foram proferidas.

Quanto mais conhecermos as emoções, a mentalidade e o estilo de vida dos judeus do Velho e do Novo Testamento, melhor compreenderemos a pessoa do Senhor Jesus Cristo.
Fatos, fotos e dados indispensáveis para pastores e mestres. Leitura fascinante para todos os membros da família e grupos de estudo bíblico.

Livro Manual dos Tempos e Costumes Bíblicos
William L. Coleman
Editora Betânia, 1991

Boas leituras!


segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Livro A Dama da Lotação e outros contos e crônicas, Nelson Rodrigues


Livro A Dama do Lotação e outros contos e crônicas
Nelson Rodrigues
Ediouro Publicações S.A., 1996

Histórias de amor, paixão, morte e adultério. Crônicas de futebol que cobrem desde a Copa do Mundo de 1950 (Brasil) até a de 1970 (México), com temas sobre heroísmo, medo, multidão. Comédias. Não é a toa que Nelson Rodrigues é o maior teatrólogo de todos os tempos.

sábado, 12 de novembro de 2016

A Bicicleta, de Antônio Prata na página do Itaú

Página do Itaú no facebook

Já está disponível para leitura mais uma estória "A Bicicleta" de Antônio Prata...

Basta acessar o facebook do Itaú e curtir essa bonita amizade entre uma bicicleta e uma simpática pipa!

Boas leituras!

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Revista Bodigaya, Ano 9, N. 18, 2006


Conhecendo o Buda: Dalai Lama no Brasil em 2006
A arte de passear, Carlos Cardoso Aveline
Pedagogia Budista, Antônio Carlos Rocha
Sempre é Ano Novo, Paulo Emmel
Um dia você ainda vai se dar conta..., Enio Burgos
Sobre o uso de plantas medicinais, Rita Córdova
Dzogchen, O caminhada da Liberdade, Chogyal Namkhai Norbu Rimpoche, Tamas Virag
A heresia triunfante, Odilon Blank
Viver de luz, Saphire Ceres
Mestres da Essência, Geraldo Dall'Agnese Jr
Delicados fios que se entrelaçam, Daisy Maciel

Revista Bodigaya ( Meditação, Budismo, Saúde e Ecologia )
Ano 9, N. 18, 2006
Editora Bodigaya

Boas leituras!

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Livros O Ermitão da Glória e A Pata da Gazela, José de Alencar



O Ermitão da Glória

"Cidade do Rio de Janeiro no início do século XVII é cenário para o livro de José de Alencar. Conta as aventuras e desventuras românticas do jovem Aires de Lucena, em sua luta contra os invasores franceses e holandeses e contra o destino. Ele tem sorte nas batalhas, mas tem que passar por dolorosas provações."

A Pata da Gazela

"A Pata da Gazela" é um singelo romance de José de Alencar considerado a "Cinderela brasileira". Narrado em terceira pessoa, trata-se de um romance vivido na alta sociedade carioca. Horácio recolhe um pequeno sapato que encontra na rua e se obstina a encontrar a dona dele. Apesar de a história ser bastante previsível, o final da obra é surpreendente."

Livro O Ermitão da Glória / A Pata da Gazela
José de Alencar
Editora Piratininga

Boas leituras!


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Livro Educação do "Renascimento", Keiyo Kanuma


Livro Educação do "Renascimento"
Soluções dos problemas de rejeição escolar, de violência e de promiscuidade sexual
Keiyo Kanuma
Seicho-No-Ie, 2001

Boas leituras!

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Livro Decamerão, Boccaccio

Volume I e II

"A obra mais famosa de Giovanni Boccaccio(1313-1375), Decamerão, é até hoje lembrada como um compêndio sobre a capacidade humana de perverter-se de todas as formas. Mas foi também uma das grandes responsáveis pela fixação do idioma italiano na Itália, ao percorrer, com seus contos divertidos, uma gama imensa de sentimentos humanos e situações cotidianas nos idos da Idade Média. 

Numa manhã de terça-feira do ano de 1348, sete moças e três rapazes resolvem deixar a cidade de Florença para fugir da peste negra. Decidem exilar-se em um castelo, onde estariam a salvo da doença. O ócio os faz pensar em uma brincadeira - cada dia um deles reinaria no castelo por uma jornada, sendo obrigados a narrar dez contos. E daí surgem as cem histórias que compõem o Decamerão. 

Dessa maneira, eles passam dias entre a nobreza em vida refinada, na qual se entrelaçam divertimentos campestres, conversas, jogos, jantares e danças. Todos os dias da semana (com exceção de sexta-feira e sábado, por respeito às conveniências religiosas), cada um conta uma história, com tema livre, sendo apenas decidido pelo rei ou rainha na véspera. 

Mas há mais que riso, sexo e padres nas histórias de Boccaccio. O tom cômico, que na obra assume um caráter crítico, se enquadra numa tradição mental típica da narrativa medieval. 

As histórias, apesar de aparentemente desconexas, seguem um discurso progressivo. As primeiras versam sobre os vícios - a pederastia, a mentira, a violência, representadas especialmente pelo pederasta, usurário, violento, mentiroso, falsário. As últimas tratam de provações que uma esposa suporta pelo marido. Todo o tipo de encruzilhada humana, fruto da fortuna, do amor e da inteligência, ganha contos saborosos sob a pena de Boccaccio. 

Decamerão foi dirigido expressamente às mulheres e ao novo público burguês das cidades italianas e teve um dos maiores êxitos com os livreiros da época, comparável às obras mais famosas, tais como A Divina Comédia e o próprio Evangelho. Em seus contos figuram homens e mulheres oriundos de todas as camadas sociais, do ambiente rural, da burguesia, da nobreza e do clero. O resultado é uma representação de todas as classes sociais, de todos os tipos humanos, de todas as situações da vida - um tipo de "comédia humana" em plena Idade Média." 

Via http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/decamerao-643986.shtml

Livro Decamerão
Boccaccio
Tradução Guimarães
Editor Victor Civita
1981

Boas leituras!

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Coluna da Menina: Se minha vida fosse uma série...

Pode uma Gata-Rainha viver com isso?! E tem mais...

Se minha vida fosse uma série, sem dúvida seria o "The walking dead"... ( aquela dos zumbis ).

Esses cachorros, saem de não sei onde e invadem os meus domínios!

O pior, é que a humana maluca incita esse péssimo comportamento gastando não sei quantos sacos de pão, alimentando esse bando...

O humano vive dizendo que precisamos trocar o ramo do negócio, de auto-peças pra padaria ou agropecuária!

Bem, abrindo um parêntese, eu e o Ponta estamos um pouco melhor, estamos em dieta específica, diga-se de passagem: caríssima! Mas convenhamos, eu valho!!! Sou una Rainha e meu organismo não aceita qualquer coisa!

Mas, voltando a minha sofrida vida de celebridade, o meu ambiente tá muito mal frequentado! 

Essa é a do Borracheiro, não é fofoca, mas pelo que ouvi é uma ninhada fora e outra dentro...

O afrodescendente é o filho da do Borracheiro e a pigmoa branquela é a que precisa de ADOÇÃO urgente! Ela tá pensando em ficar aqui com a gente... #SQN

Essa é a da revenda, a gente se entende assim: ela cuida da vida sem graça dela, e eu administro minha consagrada carreira.

E esse é o nosso "senhorio", sério e discreto.
Ah! E antes que os defensores dos pobres "catioros" venham brigar comigo... confesso: Eu AMO cachorro... quente!!! Hahaha

Brincadeirinha! 

Basta eles me idolatrarem e está tudo bem...

Gata-Menina-Rainha-Master-Ate-Dos-Catioros

Boas leituras!

P.S. Pessoal o lance da cachorrinha branca é sério, estamos buscando um lar para ela! Ela está ficando aqui pelo stand durante o dia, Morada do Vale I, Gravataí.


Livro O Tarô Mitológico, Juliet Sharman-Burke e Liz Greene


Livro O Tarô Mitológico, Uma Nova Abordagem Para A Leitura Do Tarô
Julieta Sharman-Burke e Liz Greene
Tradução Anna Maria Dalle Luche
Editora Arx, 2003

Durante séculos considerado um sistema obscuro de adivinhação, o Tarô se apresenta agora com uma nova roupagem, muito mais prática para o uso diário.

Boas leituras!

domingo, 6 de novembro de 2016

Poesia Imagine como seria, Fábio Brazza

*ilustração Nidhi Chanani
V i d e o



Imagine como seria (Poesia) - Fabio Brazza e Lua Lafaiette (violão)

Imagina como seria
O nosso querido Brasil
Se na matéria estudantil
Se incluísse a poesia
Se nosso prato do dia
Fosse o verso dum poeta
Uma dieta seleta
Pra deixar a mente sadia
Antônio Goncalves Dias
Com Poesia Concreta

E que tivesse na merenda
Um poema por semana
Bastante Mario Quintana
Pra que a molecada aprenda
Com graça e curiosidade
O quanto aprender é bom
De Chico, Vinicius, Tom
A Carlos Drummond de Andrade
E que na hora do recreio
Entre vivas e salves
A criançada em anseio
Clamasse por Castro Alves

Imagina como seria se ao invés de celulares
Nossos jovens se distraíssem
Lendo livros aos milhares
Seriam suas mentes mais lúdicas
Imagina se as escolas públicas
Fossem iguais as particulares
Imagina se Augusto de Campos e Sergio Vaz
Fossem nossos artistas populares

Hoje em dia as músicas são tão pobres
Não consigo ver nenhuma vantagem
Numa letra sem vida
Totalmente desprovida
De qualquer mensagem

Se a gente é o que a gente lê
Se a gente é o que a gente ouve
Agora dá pra entender
Com nossos jovens o que houve
Mas imagina se ao invés
De ostentação e pornografia
Eles recitassem cordéis
E ostentassem poesia
Imagina como seria
Se eles lessem Gabriel Garcia
Mario Vargas Llosa
Escutassem Mercedes Sosa e Paco de Lucia
Se soubessem quem foi Vicente Huidobro
Talvez aprenderiam o dobro
Do que aprendem hoje em dia

Mas é que sabotaram
A Educação Brasileira
É perda de tempo ouvir Hip Hop
Pois o que não dá ibope é besteira
A mídia nos entope
Com o lixo do POP
E não com Manuel Bandeira
A mídia nos Dopa
De novela e de Copa
E o povo feito tropa
Caminha alienado
Mas esse caminhar restrito
Não é o mesmo descrito
Por Antônio Machado

Aliais alguém sabe quem foi Antônio Machado?
Não te culpo se não sabia
Pois eu também não saberia se não tivessem me contado

Eu sei que este mundo que tenho imaginado
Não passa de uma utopia
Mas no meu ponto de vista
Acredito que ele exista
Pois tudo existe aonde existe a poesia
Por isso tento fazer minha parte
Pra disseminar sabedoria
Pra que ao menos nossa arte
Não se transforme em mera mercadoria
Cada verso é um resgate
Em nome da poesia
Pra que essa sociedade vazia
Pouco a pouco não lhe mate

Que belo poema/música!
Obrigada a Jussara Neves Rezende que compartilhou conosco.

Boas poesias!